Cannabidiol

Óleo CBD para Fibromialgia: É eficaz, seguro ou legal?

Mais pesquisas são necessárias para provar sua eficácia

O óleo CBD está recebendo muita atenção popular como um tratamento potencial para a fibromialgia. Até agora, não temos muita pesquisa sobre isso, mas temos algumas – e é promissora. 1

Ainda assim, muitas pessoas realmente não entendem o que é óleo CBD ou como ele funciona, e tende a ser envolvido na controvérsia sobre a maconha medicinal. Isso pode fazer as pessoas hesitarem em tentar. Há também muita confusão sobre se é legal — mas também há algumas mudanças positivas sobre esse assunto.

O que é o óleo CBD?

CBD significa “canabidiol”, que vem da planta de cannabis. Sim, a planta de cannabis é onde conseguimos maconha. No entanto, o óleo CBD não tem nenhuma propriedade psicoativa, o que significa que não te deixa chapado.

A substância responsável pela alta associada à maconha vem de uma substância diferente, que é chamada de THC (tetrahidrocanabinol.) Produtores que desejam maximizar as raças e técnicas de alto uso da planta que se concentram em níveis mais altos de THC. Enquanto isso, a cannabis cultivada para cânhamo é geralmente mais rica em CBD do que THC, e é daí que o CBD é derivado.

O CBD extraído da cannabis está sendo usado para muitos fins médicos, e você pode encontrar um monte de reivindicações impressionantes on-line. São verdade? Do ponto de vista científico, as respostas são mais como “possivelmente” e “algumas delas parecem ser mais do que um “sim” firme, e depende de quais afirmações você está olhando.

As pessoas estão usando óleo CBD para um monte de diferentes propósitos médicos, incluindo:

  • Dor crônica e inflamação
  • Dor do glaucoma
  • Epilepsia, especialmente em crianças de três anos
  • Transtorno de ansiedade social
  • Insonia
  • Transtorno bipolar
  • Esclerose múltipla
  • Doença de Parkinson
  • Esquizofrenia
  • Problemas de movimento da doença de Huntington
  • Assistência com cessação do tabagismo
  • Parar o crescimento de tumores cancerígenos

A partir de meados de 2018, o petróleo CBD não é aprovado pela FDA para quaisquer condições. A pesquisa nos Estados Unidos está nos estágios iniciais, porém, uma vez que, durante décadas, as restrições legais tornaram extremamente difícil estudar os benefícios médicos da maconha ou de qualquer um de seus componentes.  

Podemos ver os pedidos enviados à agência à medida que a pesquisa continua avançando.

O óleo CBD é usado de várias maneiras. Você pode fumar, engolir cápsulas, usá-lo sob a língua, em forma de spray ou gota, e topicamente.

Pesquisa para Fibromialgia

A pesquisa geral do CBD está em sua infância, então a pesquisa sobre CBD para fibromialgia pode ser considerada embrionária. Nós apenas não temos muito para continuar agora. Um levantamento da literatura de 2016 concluiu que não há evidências suficientes para recomendar quaisquer tratamentos à base de cannabis para fibromialgia ou outras condições reumáticas.

No entanto, é provável que este tema receba muita atenção futura, por várias razões.

Primeiro, temos uma epidemia de dor nos EUA, e a fibromialgia é um grande contribuinte para isso. Os tratamentos atuais não são bons o suficiente para a maioria de nós, então há um enorme incentivo financeiro para encontrar algo que seja melhor para aliviar nossa dor e outros sintomas.

Também temos uma epidemia de vício em opioides e overdoses. Estudos demonstraram que quando um estado legaliza a maconha, o número de prescrições de opioides cai.  

Essa é uma boa notícia para os profissionais de saúde que procuram tratamentos de dor mais seguros, as agências de aplicação da lei lutando para controlar a maré do uso ilegal de opioides e legisladores que procuram soluções para o problema dos opioides.

Acredita-se que o óleo CBD seja eficaz contra dor e inflamação, e, em sua forma pura, é geralmente considerado seguro.

Finalmente, embora as evidências anedóticas certamente não sejam uma prova científica de nada, temos uma abundância dela de pessoas com fibromialgia que dizem que o CBD os ajuda, e você pode apostar que quando pacientes que têm condições difíceis de tratar dizem aos seus prestadores de cuidados de saúde que algo funciona, isso desperta seu interesse.

Quanto às motivações científicas por trás de um estudo mais aprofundado, considere que se acredita que o CBD ajude a aliviar:

  • Dor
  • Insónia
  • Ansiedade

Quando se trata de sintomas de fibromialgia, esses três potenciais são significativos.

Um artigo de 2017 publicado no Expert Opinion on Therapeutic Targets sugeriu o CBD como uma possível maneira de diminuir a atividade das células cerebrais chamada glia, o que leva à sensibilização central. 8 Essa é uma característica importante da fibromialgia e outras síndromes de sensibilidade central, como síndrome da fadiga crônica, síndrome do intestino irritável e enxaqueca.

A fibromialgia também envolve algo chamado deficiência endocanabinóide. Esse é o sistema que lida com os endocanabinóides naturais do seu corpo, bem como produtos de cannabis que você pode tomar. Isso torna os produtos de cannabis um tratamento promissor.

Uma revisão de 2016 publicada na Cannabis and Canabinoid Research encontrou evidências de que o CBD é eficaz na enxaqueca e síndrome do intestino irritável, que estão relacionados à fibromialgia. Também afirmou que alguns tratamentos à base de cannabis pareciam eficazes para a fibromialgia. Os autores afirmaram que o CBD é muitas vezes preferível aos pacientes devido aos efeitos elevados e outros associados ao THC. 9

Alguns sugeriram que o CBD pode combater a inflamação. A fibromialgia não é atualmente classificada como uma condição inflamatória, mas pesquisas sugerem que pelo menos alguns casos podem envolver inflamação de uma teia de tecido conjuntivo em todo o corpo chamada fáscia. Se isso for preciso, pode ser mais uma razão para o CBD ser considerado.

Efeitos colaterais

Não temos uma visão completa dos possíveis efeitos colaterais do CBD. Alguns efeitos colaterais relatados incluem:10

  • Alterações nas enzimas hepáticas usadas para processar drogas
  • Boca seca
  • Pressão arterial baixa
  • Atordoamento
  • Sonolência
  • Tremor aumentado na doença de Parkinson, em altas doses

Esses efeitos são possíveis, mas requerem mais estudo, segundo a Organização Mundial da Saúde:

  • Alteração dos níveis hormonais
  • Estimulação do sistema imunológico em níveis baixos, e supressão imunológica em níveis mais altos

Vício e abuso não parecem ser problemas com CBD, e parece ter um baixo nível de toxicidade, o que significa que é preciso muito para overdose.

Tratamentos de Fibromialgia Não-Medicamentos

Tratamentos de fibromialgia que não sejam medicamentos incluem:

O Óleo de CBD é Legal?

Você acha que a pergunta, “CBD é legal?” seria responder com um simples sim ou não. Não foi, e embora esteja ficando mais fácil responder a essa pergunta, ainda não é cortado e seco (nem a questão de se o óleo CBD pode ou não resultar em um teste de drogas positivo).

Você tem sido capaz de encontrar um monte de reivindicações por produtores de cânhamo e vendedores de CBD que seu produto é legal em todos os 50 estados, desde que contenha menos de 0,3% de THC. No entanto, uma decisão do 9º Tribunal de Apelações discordou.

Entre na Conta da Fazenda 2018. Essa legislação foi extremamente popular tanto no Senado, onde foi aprovada em junho de 2018, quanto na Câmara, onde foi aprovada em dezembro de 201811 e aprovada em lei logo depois reclassificanda o cânhamo como um produto agrícola legal, o que torna os produtos CBD legais em nível federal.

Em estados onde a maconha e/ou CBD é legal, não há mais um embate entre as leis estaduais e federais. Isso é uma vitória para aqueles que querem tomar CBD com finalidades medicamentosas.

O site ProCon.org tem informações sobre quais estados têm leis específicas para o petróleo CBD. Um site chamado Governing mantém um mapa de onde a maconha é legal de alguma forma.

Ponto a ponderar

Certamente, você tem muito a considerar quando se trata de qualquer tratamento, e ainda mais quando se trata de CBD. Considere os prós e contras — incluindo os legais — com cuidado. Certifique-se de discutir essa opção com seu provedor de saúde para ter certeza de que você está seguro e, como em qualquer tratamento, fique atento aos efeitos colaterais.

Com mudanças legais na loja e mais pesquisas chegando, espere que as coisas mudem rapidamente quando se trata de óleo CBD e outros tratamentos à base de cannabis. Provavelmente saberemos muito mais sobre a eficácia e a segurança desses produtos daqui a alguns anos.

PERGUNTAS FREQUENTES

  • Qual analgésico é melhor para fibromialgia?

Não há uma única resposta para esta pergunta. Todos precisam tentar tratamentos diferentes e ver o que funciona para eles.

Os analgésicos comuns de fibromialgia incluem:

A fibromialgia precisa de um regime de tratamento personalizado e não há um tratamento “melhor” que tenha sido identificado. Três medicamentos são aprovados pela FDA para fibromialgia — Lyrica (prébalina), Cymbalta (duloxetine) e Savella (milnacipran)—, mas muitas outras drogas e suplementos são usados para tratar essa condição.

Traduzido por Cláudio Souza so original em CBD Oil for Fibromyalgia: Is it Effective, Safe, or Legal? em 23 de Julho de 2022, escrito por Adrienne Dellwo Atualizado em 25 de maio de 2022 Medicamente revisado por David Ozeri

  1. Shannon S, Opila-lehman J. Eficácia do óleo de canabidiol para ansiedade pediátrica e insônia como parte do transtorno de estresse pós-traumático: Um relato de caso.  Perm J.  2016;20(4):16-005. doi:10.7812/TPP/16-005
  2. Universidade de Harvard, Harvard Health. Canabidiol (CBD) – O que sabemos e o que não sabemos.
  3. Tzadok M, Uliel-siboni S, Linder I, et al. CBD-riched cannabis medicinal para epilepsia pediátrica intratável: A experiência israelense atual.  Convulsão. 2016;35:41-4. doi:10.1016/j.seizure.2016.01.004
  4. Administração de Alimentos e Drogas dos EUA. O que saber sobre produtos que contêm cannabis e CBD.
  5. Habib G, Avisar I. O consumo de cannabis por pacientes com fibromialgia em Israel.  Pain Res Treat. 2018;7829427. doi:10.1155/2018/7829427
  6. Fitzcharles MA, Baerwald C, Ablin J, Häuser W. Eficácia, tolerabilidade e segurança de canabinoides em dor crônica associada a doenças reumáticas (síndrome da fibromialgia, dor nas costas, osteoartrite, artrite reumatoide): Revisão sistemática de ensaios controlados randomizados.  O Schmerz. 2016;30(1):47-61. doi:10.1007/s00482-015-0084-3
  7. Chihuri S, Li G. Leis estaduais de maconha e mortalidade por overdose de opioides.  Inj Epidemiol. 2019;6:38. doi:10.1186/s40621-019-0213-z
  8. Nijs J, Loggia ML, Polli A, et al. Distúrbios do sono e estresse severo como ativadores glial: alvos-chave para o tratamento da sensibilização central em pacientes com dor crônica? Expert Opin Ther Targets.  2017;21(8):817-826. doi:10.1080/1472822.2017.1353603
  9. Russo EB. Deficiência clínica de endocanabinóide reconsiderada: A pesquisa atual apoia a teoria da enxaqueca, fibromialgia, intestino irritável e outras síndromes resistentes ao tratamentoCannabis Canabinóide Res. 2016;1(1):154-165. doi:10.1089/can.2016.0009
  10. Hande K. Canabidiol: A necessidade de mais informações sobre seus potenciais benefícios e efeitos colaterais.  Clin J Oncol Nurs. 2019;23(2):131-134. doi:10.1188/19.cjon.131-134
  11. Administração de Alimentos e Drogas dos EUA. Produção de cânhamo e a Conta da Fazenda 2018.  

Leitura adicional

Tem algo a dizer? Diga!!! Este blog, e o mundo, é muito melhor com amigos!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.