O óleo de canabidiol, o CDB, é viciante? Não Mesmo

O óleo de canabidiol, o CDB, é viciante? Não Mesmo

[vc_row][vc_column width=”1/2″][/vc_column][vc_column width=”1/2″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]

O óleo de canabidiol o CBD é viciante?

Como a maconha pode ser viciante, especialmente quando é usada pesadamente e em altas doses, você pode se perguntar se o vício em CBD também é possível.  O CBD (canabidiol) é um dos muitos compostos encontrados na cannabis. Os produtos que contêm CBD cresceram em popularidade nos últimos anos, encontrados em tudo, desde suplementos de goma até smoothies pós-treino até travesseiros infundidos por CBD.

A crescente popularidade do CBD foi alimentada, em parte, pelas propriedades de aumento da saúde mental do complexo. No entanto, algumas pessoas podem hesitar em usar tais produtos por medo de que o óleo de canabidiol possa ter o mesmo potencial de vício que a cannabis.

Este artigo discute se o vício em CBD é algo para se preocupar. Também cobre algumas das outras possíveis preocupações que você pode ter ao tomar CBD.

O óleo de canabidiol o CBD é viciante?

O óleo de canabidiol o CBD é viciante?
O óleo de canabidiol não vai te dar “barato” ou “viajem”. Agora, se você for como eu, depois que a dor sumir, você vai rir sozinho por uns três ou quatro dias. 😉

O vício em drogas é definido como uma necessidade compulsiva de usar uma substância e uma incapacidade de parar de usá-la apesar das consequências negativas. 1

Substâncias que levam à dependência e ao vício afetam os centros de prazer do cérebro, muitas vezes tornando-o para que as pessoas precisem consumir uma substância para evitar experimentar sintomas de abstinência. Em muitos casos, as pessoas também podem precisar usar cada vez mais uma droga para continuar experimentando os mesmos efeitos eufóricos que sentiram inicialmente.

Tetrahidrocanabinol (THC) é o composto psicoativo da cannabis que produz a viagem associada à maconha. Quando administrado, o THC viaja para o cérebro através da corrente sanguínea e se liga aos receptores endocanabinoides encontrados em áreas do cérebro que estão associadas a coisas como prazer, movimento, memória e pensamento.

Enquanto o canabidiol também interage com o sistema endocanabinóide do corpo, o CBD não tem as mesmas propriedades intoxicantes que o THC tem. Pesquisas sugerem que ele tem um bom perfil de segurança e é bem tolerado em doses de até 600mg a 1.500 mgs.

Ao contrário do THC (tetrahidrocanabinol), o CBD não produz efeitos psicoativos. E embora o uso de maconha possa levar à dependência, pesquisas atuais sugerem que o CBD não é viciante.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, em humanos, o CBD não apresenta efeitos indicativos de qualquer abuso ou potencial de dependência…

Até o momento, não há evidência de problemas relacionados à saúde pública associados ao uso de CBD puro. (“Quais Doenças Podem Ser Tratadas com o Canabidiol?”) 3

Um estudo de 2017 publicado no Journal of Drug and Alcohol Dependence sugeriu que o CBD tem o mesmo potencial de dependência de uma pílula placebo.

No entanto, é importante notar que muitos produtos CBD podem conter algum nível de THC. A lei federal exige que os produtos cbd derivados de cânhamo contenham menos de 0,3% do THC (O que eu tomo está dentro destas limitações, é o Cannameds Full Spectrum que, já adianto aqui, mudou minha vida para melhor). No entanto, pesquisas descobriram que 70% dos produtos CBD contêm significativamente mais THC do que seus rótulos sugerem.

O THC sim, é viciante., O que eu Uso tem uma parcela tão ínfima de THC que nem a percebo

O óleo de canabidiol o CBD é viciante?
Em síntese. A Maconha é mais segura que até mesmo o amendoim!

Enquanto o CBD não é viciante, o THC é. Evidências sugerem que as pessoas podem desenvolver uma tolerância ao THC e podem experimentar sintomas de abstinência. A dependência física do THC é mais provável entre as pessoas que usam cepas de cannabis de alto THC. 4

CBD pode ajudar a tratar o vício!

Algumas evidências sugerem que o CBD pode realmente ser útil para tratar o vício em drogas e comportamentos viciantes. Por exemplo, enquanto a pesquisa ainda é escassa e preliminar, estudos descobriram que o CBD mostra promessa no tratamento do vício em cocaína e metanfetamina.

Uma revisão de 2015 dos dados pré-clínicos e clínicos disponíveis constatou que o CBD tinha propriedades terapêuticas no tratamento da cocaína, opioide e dependência psico-estimulante.

Óleo de Canabidiol – Canabinoides e THC. O que são?

As evidências também indicaram que ele pode ter benefícios no tratamento do vício em tabaco e THC. 5

Um estudo de 2019 descobriu que o canabidiol pode ajudar a reduzir os desejos de drogas, paranoia, impulsividade e sintomas de abstinência associados ao vício em crack e cocaína. 6

Embora promissor, mais pesquisas são necessárias para entender como o CBD pode ser utilizado para o tratamento de transtornos do uso de substâncias.

Efeitos do O óleo de canabidiol

Stephanie de Souza -CanamedsEmbora o CBD não tenha propriedades psicoativas, ele tem uma variedade de efeitos. Seu potencial impacto em condições de saúde mental, como ansiedade e depressão, é um ponto de interesse específico para muitos.

Além dos benefícios para a saúde mental, algumas pesquisas indicam que o CBD pode ser útil para reduzir a dor (os efeitos angustiantemente incapacitantes de minha polineuropatia, dor diuturna, acabaram em menos de um mês de uso de óleo de canabidiol), aliviar a náusea e tratar inflamação. A Organização Mundial da Saúde também sugere que o CBD pode ser útil para o tratamento de doenças de Alzheimer, artrite, doenças cardiovasculares e diabetes. 3

Alguns dos usos potenciais estão listados abaixo.

Convulsões

Pesquisas descobriram que o CBD pode ajudar a reduzir as convulsões causadas pela epilepsia. Um estudo de 2018 de crianças e adultos com epilepsia resistente ao tratamento constatou que o uso de CBD esteve associado a reduções na frequência e gravidade das convulsões. 7

Em 2018, a FDA aprovou o Epidiolex, uma solução cbd, para o tratamento de formas raras e graves de epilepsia. 8

Ansiedade

Pesquisas também sugerem que o CBD pode ser útil para aliviar sintomas de ansiedade. Por exemplo, um estudo descobriu que o canabidiol era útil para reduzir sintomas de transtorno de ansiedade generalizada (GAD), transtorno de pânico, transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) e transtorno de ansiedade social. 9

Depressão

Estudos também sugerem que o CBD pode ter potencial no tratamento da depressão. Por exemplo, um estudo descobriu que o CBD influencia a forma como o cérebro responde à serotonina, que pode ter um efeito antidepressivo. 10

O que diz a pesquisa sobre o óleo de canabidiol, o CBD?

Embora o CBD não pareça ser viciante e possa ter alguns benefícios, uma revisão em larga escala concluiu que não havia evidências suficientes para apoiar o uso do CBD como tratamento para condições de saúde mental. 11

Isso não significa que o CBD pode não ser útil. Isso significa que mais estudos são necessários para determinar o que o CBD pode tratar, quando é mais bem utilizado, e que dosagem as pessoas devem tomar.

Quanto CBD você deve tomar?

Efeitos colateraisd O óleo de canabidiol e outras preocupações

As evidências atuais sugerem que o uso de CBD não leva ao vício e que a substância pode ter uma série de benefícios para a saúde. No entanto, também é importante estar ciente de que o CBD tem alguns efeitos colaterais potenciais.

Alguns efeitos colaterais que podem ocorrer ao tomar CBD incluem:

  • Ansiedade (paradoxalmente)
  • Mudanças no apetite
  • Tontura (a minha tontura, uma resultante da polineuropatia sumiu!)
  • Interações medicamentosas;. Não enfrentei nenhuma.
  • Sonolência (nos primeiros dias)
  • Boca seca -Sede, não boca seca)
  • Problemas gastrointestinais
  • Mudanças de humor – Fiquei feliz e sorridente. Afinal, oito anos de dores foram sepultados em um mês. Dá para ficar alegre né?
  • Náusea

Pesquisas indicam que o CBD é geralmente bem tolerado até doses de cerca de 600 mgs e até 1500 mgs. No entanto, muitas vezes pode ser difícil determinar quanto CBD você está realmente tomando. De acordo com um estudo, 43% dos produtos CBD disponíveis comercialmente contêm substancialmente mais canabidiol do que o indicado no rótulo; não é o caso do Óleo de Canabidiol da Canameds; não senti nenhum incomodo e tomo desde setembro. 12  

O Centro Nacional de Saúde Complementar e Integrativa alerta que o CBD pode ser prejudicial para algumas pessoas. Em alguns estudos, o uso de Epidiolex esteve ligado a problemas hepáticos e interações medicamentosas. 13

Embora tais questões possam ser gerenciadas ao tomar um medicamento prescrito sob supervisão médica, o CBD autoadministrado poderia potencialmente ter os mesmos efeitos nocivos, particularmente porque pode ser difícil determinar quanto CBD muitos produtos realmente contêm. Procure um fabricante consciente, responsável e interessado no bem-estar de seus clientes.

Os produtos CBD também podem conter níveis mais elevados de THC do que o indicado no rótulo. Isso pode ser preocupante se você está tentando evitar THC.

O Amor Imuniza? Amor e Sexo São A Mesma Coisa?

Recapitulando

Embora as evidências atuais indiquem que você não desenvolverá um vício em CBD, é possível ter uma reação adversa ao canabidiol (!!!). Falar com seu médico primeiro e começar com uma dose baixa pode reduzir o risco de efeitos colaterais indesejados.

O CBD não parece ser viciante, mas isso não significa que isso seja certo e garantido para todos. Se você está pensando em tentar CBD, discuta isso com seu médico primeiro. Se preciso, consulte uma segunda opinião.

Existe, sim, um preconceito institucionalizado entre médicos. Minha infectologista, vendo-me, por anos a fio, sofrendo com isso, recusou-se a prescrever o Óleo por “não ter conhecimento. Ofereci mais de mil páginas de assunto para a leitura dela e, se leu, não adiantou, na consulta seguinte disse-me:

-“Não tenho mão para prescrever isso”! Procure um grupo de dor. Em meu podcast falo desta minha opinião sobre grupos de sor. Está incorporado ao final do texto

Certifique-se de contar ao seu provedor de saúde sobre quaisquer outros medicamentos que você possa estar tomando, a fim de evitar quaisquer interações medicamentosas potenciais. Observe os efeitos colaterais e não tome mais do que a dose que seu médico recomenda.,

Remédio é remédio. Dá mesma forma com que você não vai tomar oito dúzias de um comprimido qualquer, ou fumar (…) determinados antirretrovirais para ter uma viagem, não deve abusar das doses da medicação.

S I G A  A S  O R I E N T A Ç Õ E S de seu médico

Se você precisa de maiores informações sobre Canabidiol fique à vontade para me procurar através do WhatsApp +55 13 991 585 780, para falar comigo, Cláudio Souza.
Por favor, me procure, inicialmente, por mensagens, pois nem sempre estou com o celular por perto e, tenha certeza, eu sempre respondo!

Traduzido por Cláudio Souza, na madrugada insone de 19 de março de 2022, do original em Is CBD Addictive? Escrito por Kendra Cherry publicado em on dezembro 20, 2021 Medically revisado by John C. Umhau, MD, MPH, CPE[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

8 comentários sobre “O óleo de canabidiol, o CDB, é viciante? Não Mesmo

Tem algo a dizer? Diga!!! Este blog, e o mundo, é muito melhor com amigos!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.