Antirretrovirais em risco de falta, pois as vivem com hiv devem tomar

Antirretrovirais em risco de falta. Cuidado!

Antirretrovirais em risco de falta e as pessoas vivem com HIV devem tomar de qualquer maneira!

Parece alarmismo, e bem que eu gostaria que fosse, mas…
Existem loucos para tudo! Bem sei. Como se o planeta já não tivesse problemas ambientais, nós estamos cruzando a linha da qual não se retorna, isso é fato, temos, agora, um louco, com uma caixa repleta de botões que controlam uma quantidade de armas de destruição em massa capazes de transformar nosso planeta em um vago amontoado de asteroides, perturbando toda a ordem do sistema solar, determinado a fazer guerra.

Guerra de expansão territorial. Uma coisa para qual a ONU foi criada, para impedir este tipo de avanço. Já deu. Mas o filho da putim está lá, fazendo ameaças, falando na imundície da guerra química, da crueldade das armas biológicas, como coisas “factíveis”. A ONU, a meu ver, é peça decorativa na ordem planetária, sem poder algum, apenas fala. Fé sem obras…

Tempos Difíceis, mas antirretrovirais em risco de falta em um país do tamanho do nosso!!! (…)

Sim, os tempos são difíceis e para mim, que vi a queda do muro de Berlim ao vivo, no meio da noite pela televisão, com um alívio até ingênuo, tenho a segunda oportunidade de temer pelo absurdo.

Quem Sou eu para falar né?…

Mas, em meio a tudo isso, temos de cuidar de nossas saúdes, ter em mente que está guerra, e nosso BolsoJetSkyNaro, que nos considera uma despesa para o país (bem, busco produzir, consumir, pagar a pesada taxa de meus impostos, me vejo como um cidadão, “uma pessoa de bem”, que não passa um mês, ou meio mês que seja, com uma carga horária de “T R Ê S H O R A S”, coisa de vagal, na minha opinião (se me processar é porque a carapuça serviu!) temos de prestar atenção ao que ocorre em nossa volta.

Muitas, mas muitas e muitas pessoas, co doenças graves, doenças autoimunes, cânceres incuráveis, estão buscando doações, financiamento coletivo, porque os medicamentos, garantidos por lei e por cláusula pétrea de nossa constituição, Saúde é Direito do Povo e Dever do Estado, porque as medicações, ou medicamentos e tratamentos, estão “em falta”.

O Mundo empobreceu-se. Mas não tanto a ponto de Antirretrovirais em risco de falta ser uma realidade factível

É verdade, a COVID dificultou a produção, pois paralisou a força de trabalho por mais de um ano e, sim, as coisas se complicaram, o Planeta Está Mais pobre. Mas aquele 1% dos ricos do 1% mais ricos do mundo nem sequer perceberam este endurecimento da situação.

E eles bem que precisavam levar uma traulitada na canela para ver o quanto doí uma paixão. Escrevi, há muito tempo, um texto para ser publicado em meu livro.

Ele trata do equívoco no projeto de Deus, no que tange à dor na consciência. Coloco-o aqui, em “Avant Premier”, para ilustrar algumas coisas, mas, antes, preciso terminar o fio de meus pensamentos.

Toda pessoa sensata que acompanha a vida cotidiana deste País sabe que o governo (SIC) (…) faz corpo mole para começar a importação de vacinas e, não fora a ação de homens mais sérios, estaríamos, hoje, em uma situação de cobertura vacinal ainda precária.

Não está perfeito, o atraso foi grande de qualquer maneira…

Creio que, na compra de medicações, estas que estão em falta, é feita o mesmo “protocolo”.

F A Z E M O S C O R P O M O L E NESTAS COMPRAS, O REMÉDIO FALTA “COM UM POUCO DE SORTE MORREM ALGUNS PACIENTES e isso gera economia para “o caixa”.

 

Sei lá… Mas, se isso é fato, temos que manter olhos bem abertos e ouvidos bem atentos a esta possibilidade.

Pois o raciocínio acima, apesar de medonho, tenebroso, escabroso, monstruoso, pode estar certo, Jesus, Maria e Jose!…

Para alguns pacientes, que tiveram falência terapêutica em diversos esquemas, pois começaram, como eu, seus tratamentos em 1996/1997, sofreram muito enquanto muitos, muitos, mas muitos outros simplesmente (…) perderam suas vidas em um momento em que isso já era evitável.

Eu te pergunto: Ser indetectável basta? Isso é ser feliz?

Não sabe, ainda, o que é isso? Leia este post sobre carga viral.

Você sabia que mulheres acima de 50 anos são negligenciadas em pesquisas HIV/AIDS?

Você é recém-diagnosticado?

E isso: Adultos com HIV: Vidas mais longas, porém complicadas. Sabia disso?

E que por causa da polineuropatia por antirretrovirais me anulou, aniquilou por quase dez anos e só o óleo de canabidiol pode me salvar e me tornar novamente produtivo?

Eu escrevi este texto: Tocando o enterro. Não se assuste com o título!

Veja, Antirretrovirais em risco de falta, e pessoas vivem com hiv devem tomar, pois o risco de resistência, e resistência cruzada é enorme e as pessoas vivem com hiv devem tomar seus medicamentos sem falhas!

Alguns destes pacientes, só tem, como esperança, ESTE TRATAMENTO EM ANDAMENTO e perder doses, para estas pessoas, significa ficar S E M T R A T A M E N T O viável.

 

Preciso traduzir ou desenhar isso? Tenho certeza que não!

 

Assim, além de ficarmos de olho em cada data de vacinação para nós, os “imunossuprimidos” e manter vigilância sobre o processo de compra destas medicações, pois a

Como naquele filme, “Dançando no escuro” (isso é um spoiler), quando a execução termina, aparece uma frase, sendo mais ou menos assim, pois estou puxando de memória.

Eles dizem que esta é a nossa última canção.

Mas eles não nos conhecem… E só será a última canção quando nós decidirmos isso.

O poder de decisão, e realização, é nosso! Ninguém pode nos tirar isso.

Tenho alguma coisa sobre COVID para colocar aqui, mas quero juntar meu texto sobre a dor na consciência. Eu publicava em outro blog, o sistema foi desligado, mas eu tenho os textos, ele é assim:

Hemorroidas

Sei que estou ausente, afastado…

Mas, vereis, tenho razões justas para isso. Digamos que tudo começou vinte anos atrás quando aderi ao hábito infeliz de comer pimenta com comida e surgiu uma modesta e simplória hemorroida.

Disseram-me que “pimenta de mais faz isso”. Eu sabia que pimenta no cú dos outros era refresco, mas não que causava hemorroidas. Como quer que seja eu abandonei a pimenta e a hemorroida, modestamente, se recolheu.

Ao longo dos anos ela apareceu aqui e ali mas sempre se recolhia. Isso até 15 dias atrás. Quando ela ressurgiu em toda a sua pujança.

E as dores… Aí, as dores. Não quero descrever as dores, posto que são indescritíveis.

Mas desenvolvi uma teoria interessante sobre isso:

O Equívoco Divino

Deus equivocou-se ao colocar o centro da consciência no cérebro. Devia ter colocado no ânus. O dispositivo seria eficientíssimo…

Se o sujeito ou a sujeita fizessem uma coisa errada nasceria uma hemorroida. A “dor na consciência” o levaria a profunda reflexão. E dificilmente, atesto e dou fé, ele cometeria outra besteira.

Salvo os casos crônicos…

Teríamos um mundo relativamente melhor e um George W Bush se contorcendo como minhoca na areia quente com uma simples mudança de alocação da consciência.

Um mundo sem terroristas, sem pseudo fundamentalistas religiosos, sem larápios, pilantras e todo o tipo de filho da puta que existe no planeta.

Tudo isso, dito assim, soa muito engraçado. Mas o fato é que eu tinha três hemorroidas, uma estava trombosada, fui submetido a uma cirurgia de emergência,  na qual só duas puderam ser retiradas e estou num pós-operatório que deixou de se ser doloroso para ser terrificante e, diabos, daqui a seis meses passarei por tudo isso novamente.

Pessoas, abandonai a pimenta. Isso é o que vos digo.

Porque esta coisa dói.

Pois é. Enfim, a consciência deles é quase que uma hipótese né? Deve doer um pouco. Sobre COVID-19 este trecho da UNAIDS e, na sequência, o link para o texto completo

https://unaids.org.br/2020/04/o-que-as-pessoas-que-vivem-com-hiv-precisam-saber-sobre-hiv-e-covid-19/%5B/vc_column_text%5D%5Bvc_column_text%5D

Este trecho de texto é do site da UNAIDS

Estes são tempos difíceis para todos nós. O UNAIDS pede às pessoas que ajam com gentileza e digam não ao estigma e à discriminação—as pessoas afetadas pela COVID-19 são parte da solução e devem ser apoiadas.

Os governos devem respeitar os direitos humanos e a dignidade das pessoas afetadas pela COVID-19. As experiências aprendidas com a epidemia de HIV podem ser aplicadas no combate à COVID-19. Como na resposta à AIDS, os governos devem trabalhar com as pessoas, principalmente as mais vulneráveis, para encontrar soluções locais. As populações-chave não devem suportar o peso do aumento do estigma e da discriminação como resultado da pandemia de COVID-19.

Sabemos que a COVID-19 é uma doença grave que deve atingir em breve os países que hoje também carregam o maior ônus em relação HIV. Todas as pessoas, incluindo as que vivem com HIV, devem tomar as precauções recomendadas para reduzir a exposição à COVID-19:

  • Lave regularmente e completamente as mãos com água e sabão, ou use álcool em gel na falta da primeira opção.
  • Mantenha pelo menos 1 metro de distância entre você e qualquer pessoa, principalmente se ela estiver tossindo ou espirrando.
  • Evite tocar seus olhos, nariz e boca.
  • Certifique-se de que você e as pessoas ao seu redor sigam uma boa higiene respiratória—cubra a boca e o nariz com o cotovelo ou um lenço de papel dobrado quando tossir ou espirrar e descarte imediatamente o lenço usado.
  • Fique em casa se não se sentir bem. Se você tiver febre, tosse e dificuldade em respirar, procure atendimento médico—mas lembre-se de ligar com antecedência para compartilhar esta informação e seguir as instruções oferecidas pelo serviço.
  • Siga as instruções da sua autoridade sanitária local.
Um Reconhecimento Importante

UNAIDS reconhece, no entanto, que em muitos países, devido a fatores como sistemas de saúde mais fracos, assentamentos informais, cidades e transporte público superlotados e falta de água potável e saneamento, as atuais abordagens de autoproteção, distanciamento social e contenção podem não ser viáveis.

COVID-19 e pessoas vivendo com HIV 

A COVD-19 é uma doença grave e todas as pessoas que vivem com HIV devem tomar todas as medidas de prevenção recomendadas para minimizar a exposição e prevenir a infecção pelo vírus SARS-CoV-2. Como na população em geral, pessoas idosas vivendo com HIV ou pessoas vivendo com HIV com problemas cardíacos ou pulmonares podem estar em maior risco de serem infectadas pelo vírus e de apresentarem sintomas mais graves. Todas as pessoas que vivem com HIV devem procurar seus profissionais de saúde para garantir que eles tenham estoques adequados de medicamentos essenciais. Apesar da expansão do tratamento do HIV nos últimos anos, 15 milhões de pessoas vivendo com HIV não têm acesso à terapia antirretroviral, o que pode comprometer seu sistema imunológico.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Tem algo a dizer? Diga!!! Este blog, e o mundo, é muito melhor com amigos!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.